Celebração dos 493 anos da Reforma Protestante

17:42 Irismar Oliveira 0 Comments

A vida de Martinho Lutero, seus inimigos, sua familia e e seus erros. 
.

Martinho Lutero - Parte 1 - 







Martinho Lutero - Parte 2 - 




http://voltemosaoevangelho.blogspot.com


0 comentários:

Creia no poder da oração.

07:37 Irismar Oliveira 0 Comments

Não  sei o que você está passando, nem o tamanho da luta que enfrenta, mas  lhe convido a ver esse vídeo e crer na ação de Deus através da oração. O Senhor nos convida a lança sobre Ele todas as nossas necessidades.


História real sobre cristão perseguido.

...e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. Tiago 5:16

www.portasabertas.com

0 comentários:

A Paz.

17:51 Irismar Oliveira 1 Comments



Jesus disse: Amai os vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam; abençoai  aos que vos amaldiçoam, orai pelos que vos acusam falsamente. Lucas 6:27,28


Mais um parceiro  http://frasesilustradas.wordpress.com

1 comentários:

Como tratamos nossos pais na velhice?

08:03 Irismar Oliveira 3 Comments

Deus por sua bondade cuida de todas as fases de nossas vidas. Como filhos nos confiou aos cuidados dos nossos pais para zelar por nossas vidas, como pais nos deixou debaixo de uma ordem dada aos nossos filhos: "Honra teu pai e tua mãe". Mas sabemos que assim como muitos pais não zelam por seus filhos, existe muitos filhos que desprezam seus pais principalmente na velhice. Precisamos entender que ambos são mandamentos do Senhor.
Quero deixar dois texto para nossa meditação quantos ao que temos feito ou fazeremos  com nossos pais, principalmente na velhice. Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Gálatas 6: 7
Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lho também vós, porque esta é a lei e os profetas. Mateus 7: 12
 

Veja essa pequena ilustração de como um filho tratava seu pai

Um frágil e velho homem foi viver com seu filho, nora, e o seu neto mais velho de quatro anos. Seu filho o levou para morar com ele após a morte de sua mãe. Ele morava só no interior e toda a vizinhança achou bastante digna a atitude do filho em querer proteger seu pai.
As mãos do velho homem tremiam, e a vista era embaralhada, e o seu passo era hesitante. A família comeu junto à mesa. Mas as mãos trêmulas do avô ancião e sua visão falhando, tornou difícil o ato de comer. Ervilhas rolaram da colher dele sobre o chão. Quando ele pegou seu copo, o leite derramou na toalha da mesa. A bagunça irritou fortemente seu filho e nora: "Nós temos que fazer algo sobre o vovô", disse o filho. "Já tivemos bastante do seu leite derramado, ouvindo-o comer ruidosamente, e muita de sua comida no chão".
Assim o marido e esposa prepararam uma mesa pequena no canto da sala. Lá vovô comia sozinho enquanto o resto da família desfrutava do jantar.
Desde que o avô tinha quebrado um ou dois pratos, a comida dele foi servida em uma tigela de madeira.
Quando a família olhava de relance na direção do vovô, às vezes percebiam nele uma lágrima em seu olho por estar só. Ainda assim, as únicas palavras que o casal tinha para ele eram advertências acentuadas quando ele derrubava um garfo ou derramava comida.
O neto mais velho de quatro anos assistiu tudo em silêncio. Uma noite antes da ceia, o pai notou que seu filho estava brincando no chão com sucatas de madeira. Ele perguntou docemente para a criança, "O que você está fazendo"?
Da mesma maneira dócil, o menino respondeu "Oh, eu estou fabricando uma pequena tigela para você e mamãe comerem sua comida quando eu crescer".
O neto mais velho de quatro anos sorriu e voltou a trabalhar. As palavras do menino golpearam os pais que ficaram mudos. Então lágrimas começaram a fluir em seus rostos. Entretanto nenhuma palavra foi falada, ambos souberam o que devia ser feito.
Aquela noite o marido pegou a mão do vovô e com suavidade o conduziu atrás da mesa familiar. Para o resto de seus dias de vida ele comeu sempre com a família. E por alguma razão, nem marido nem esposa pareciam se preocupar mais quando um garfo era derrubado, ou leite derramado, ou que a toalha da mesa tivesse sujado.

3 comentários:

Ser nobre no meio de coisas comuns!!

13:56 Irismar Oliveira 5 Comments


Submetendo-nos Aos Propósitos de Deus
"Fiz-me tudo para com todos, com o fim de, por todos os modos, salvar alguns", 1 Cor.9.22
Qualquer obreiro cristão tem que aprender a ser uma pessoa nobre e de enorme excelência no meio de coisas vulgares e sem valor absoluto. Nunca faça esta queixa: "Se ao menos eu estivesse num outro lugar...!" Todos os servos de Deus são pessoas comuns que se tornaram invulgares, mediante a vida que lhes for dada por ele. Se não tivermos os pensamentos e os sentimentos certos, deixaremos de ter utilidade para Deus. Não somos obreiros de Deus por escolha pessoal. Muitas pessoas candidatam-se voluntariamente para o ministério; porém, não levam em si nada da onipotente graça de Deus e nada da sua poderosa Palavra como testemunho eficaz. Todo o coração mente e alma de Paulo eram dominados pelo grande propósito que Jesus Cristo veio realizar em todos nós; ele nunca perdeu de vista esse propósito excelente. Temos que encarar sempre este fato único como o principal: "Jesus Cristo e este crucificado", 1Cor.2:2.
"Eu vos escolhi", João 15:16. Mantenha em seu coração esta marca de grandeza exclusiva. Não é que você já tenha conquistado Deus, mas, antes que ele o conquistou a si do Seu jeito peculiar. Deus está operante aqui nesta escola, dobrando, quebrando, moldando, agindo e promovendo a Sua vontade em exclusividade para cada individuo. Por que estará ele a fazer tudo isso, não sabemos; mas, o seu objetivo é apenas um - poder dizer: "Este homem é meu servo, esta mulher é minha serva". Temos que estar de tal forma nas mãos de Deus, que ele possa nos usar para firmar outros na rocha, como nos firmou.
Nunca se candidate voluntariamente ao ministério; porém, se Deus o chamou para ele, ai de você se, se desviar "para a direita ou para a esquerda" desse chamamento, Deut.28:14! Ele lhe fará o que nunca fez antes de lhe haver chamado; fará consigo o que não faz com outras pessoas. Permita que ele faça a vontade dele na esfera de toda a sua vida.


Fonte: http://www.reavivamentos.com

5 comentários:

Eu digo uma coisa e você entende outra...

08:24 Irismar Oliveira 9 Comments


Este texto de Clarice Lispector tem um sentido quando lido de cima para baixo e exatamente o contrário quando lido de baixo para cima.


"Não te amo mais.
Estarei mentindo dizendo que

Ainda te quero como sempre quis.

Tenho certeza que

Nada foi em vão.

Sinto dentro de mim que

Você não significa nada.

Não poderia dizer jamais que

Alimento um grande amor.

Sinto cada vez mais que

Já te esqueci!

E jamais usarei a frase

EU TE AMO!

Sinto, mas tenho que dizer a verdade

É tarde demais..."

As vezes acontece de ouvirmos algo mas na realidade a pessoa queria dizer outra coisa. Aprendi que diante do que ouvimos ou lemos podemos fazer uma escolha: pensar o melhor ou o pior, dependendo da nossa escolha, muita coisa pode acontecer: como uma grande amizade pode ser rompida, uma  briga pode nem chegar acontecer e assim vai...      Irismar  Santos

9 comentários:

Sobrevivente de um aborto

16:24 Irismar Oliveira 8 Comments

UMA MENSAGEM  FORTE E MARAVILHOSA DE UMA MULHER QUE É UM MILAGRE DE DEUS QUE LUTA PELOS DIREITO DOS QUE NÃO PODEM TER DIREITO.





Fonte: VidaeCastidade

8 comentários:

Integralmente Hipócrita.

07:41 Irismar Oliveira 5 Comments





O interior de um hipócrita nunca corresponde ao seu exterior. O interior de um hipócrita é uma coisa, e seu exterior é outra coisa; um hipócrita é exteriormente limpo, mas interiormente impuro. Hipócritas são como os frascos dos farmacêuticos, tendo por fora o título de algum excelente remédio, mas por dentro algum veneno mortal. Eles são como os templos egípcios, que são belos por fora, mas dentro deles nada se encontra além de serpentes e crocodilos, e outras criaturas venenosas. Hipócritas laboram mais em prol de um bom nome do que de um bom coração; uma boa repercussão dos seus feitos do que uma boa consciência; eles são como violinistas, mais cuidadosos em afinar seus instrumentos do que em vigiar suas almas. Hipócritas são como prata, porém escurecem; eles possuem uma aparente santificação externa, mas interiormente são cheios de malícia, mundanismo, orgulho, inveja, etc. São como almofadas de sofá, feitas de veludo e ricamente bordadas, mas cujo interior é cheio de feno. Um hipócrita pode oferecer sacrifício com Caim, correr com Jezabel, se humilhar com Acabe, chorar com as lágrimas de Esaú, beijar Cristo com Judas, seguir a Cristo com Demas, e aparentar compromisso com Simão Mago; e ainda com tudo isto seu interior é tão mau quanto qualquer um deles. Um hipócrita é um Jacó por fora e um Esaú por dentro; um Davi por fora e um Saul por dentro; um Pedro por fora e um Judas por dentro; um santo por fora e um Satanás por dentro; um anjo por fora e um demônio por dentro. Um hipócrita é um Judeu exteriormente, mas um ateu, um pagão, um infiel interiormente. Li sobre certas estátuas, assemelhando-se a Júpiter e Netuno, que por fora eram cobertas com ouro e pérola, mas por dentro não tinham outra coisa senão aranhas e teias de aranha; a comparação perfeita com os hipócritas. Aquele monge acertou quando disse: “Mostrar ser um monge de forma externa foi fácil, mas ser, de fato, um monge, interiormente, foi difícil.” Mostrar ser um cristão de forma externa é fácil, mas ser, de fato, um cristão, interiormente, é muito difícil. O interior de um hipócrita nunca reflete ou corresponde ao seu interior; seu interior é perverso, e seu exterior é piedoso. Mas que todos os hipócritas saibam: fingir santidade é duplamente iníquo, e ao fim terão de responder por isto.

5 comentários:

Antes de pedir – adore!

19:31 Irismar Oliveira 1 Comments




 M. Lloyd-Jones



«Esta condição de ansiedade», diz Paulo, «é algo que em certo sentido está fora do seu controle, acontece sem a sua participação e apesar de você.» ... O coração e a mente estão fora do nosso controle. ... Aí «coração» não significa apenas sede das emoções; significa a parte verdadeiramente central da personalidade. «Mente» pode ser traduzido pelo termo «pensamento». ... O coração tem sentimentos e emoções. Se um ente querido cai enfermo, como começa a trabalhar o coração! ... Não somente isso como também a imaginação! Que prolífera causa de ansiedade é a imaginação! ... Neste estado de ansiedade, passamos o tempo todo raciocinando, debatendo e correndo atrás de imaginações. E nesse estado somos inúteis. .., E assim, infelizmente, o nosso testemunho é vão. Não valemos nada para os outros e, sobretudo, perdemos o gozo do Senhor. ,..


Que havemos de fazer para evitar esse tumulto interior? . . . (Paulo) não diz: «Pare de afligir-se»... (pois isso) é inútil. Dá-se o caso de que também é má psicologia. . . . Do mesmo modo, a Bíblia não diz: «Não se aborreça; isso talvez jamais acontecerá» . . . quando me encontro nessas condições, minha reação é «Sim, mas pode acontecer»... todos esses métodos fracassam quanto ao enfrentar a minha situação porque nunca percebem o poder daquilo que Paulo chama «coração» e «mente» . . . (Paulo) aplica seu remédio na forma de uma injunção positiva. «Sejam conhecidas diante de Deus as vossas petições» (Filipenses 4.6) ... e ele nos deu instruções específicas para o cumprimento do seu mandado. ... Primeiro nos recomenda orar. ... Esta é a palavra mais geral e significa adoração e culto. Se você tem problemas que parecem insolúveis, se você está sujeito a se tornar ansioso e sobrecarregado, e alguém lhe diz que ore, não corra a Deus com sua petição. ... Antes de tornar conhecidas as suas petições diante de Deus, ore, cultue, adore. Entre na presença de Deus e por algum tempo esqueça os seus problemas. Não comece com eles. Trate de dar-se conta de que você está face a face com Deus.   

Spiritual Depression, p. 264-7.

Fonte> http://www.martynlloyd-jones.com

1 comentários:

O que você faz quando encontra uma pedra no seu caminho?

06:39 Irismar Oliveira 12 Comments



A Pedra no Caminho


Conta-se a lenda de um rei que viveu num país além-mar há muitos anos. Ele era muito sábio e não poupava esforços para ensinar bons hábitos a seu povo. Freqüentemente fazia coisas que pareciam estranhas e inúteis; mas tudo que fazia era para ensinar o povo a ser trabalhador e cauteloso.

- Nada de bom pode vir a uma nação – dizia ele – cujo povo reclama e espera que outros resolvam seus problemas. Deus dá as coisas boas da vida a quem lida com os problemas por conta própria.


Uma noite, enquanto todos dormiam, ele pôs uma enorme pedra na estrada que passava pelo palácio. Depois foi se esconder atrás de uma cerca, e esperou para ver o que acontecia.

Primeiro veio um fazendeiro com uma carroça carregada de sementes que ele levava para moagem na usina.

- Quem já viu tamanho descuido? – disse ele contrariadamente, enquanto desviava sua parelha e contornava a pedra. – Por que esses preguiçosos não mandam retirar essa pedra da estrada? – E continuou reclamando da inutilidade dos outros, mas sem ao menos tocar, ele próprio, na pedra.

Logo depois, um jovem soldado veio cantando pela estrada. A longa pluma do seu quepe ondulava na brisa, e uma espada reluzente pendia à sua cintura. Ele pensava na maravilhosa coragem que mostraria na guerra.

O soldado não viu a pedra, mas tropeçou nela e se estatelou no chão poeirento. Ergueu-se, sacudiu a poeira da roupa, pegou a espada e enfureceu-se com os preguiçosos que insensatamente haviam largado uma pedra imensa na estrada. Então, ele também se afastou, sem pensar uma única vez que ele próprio poderia retirar a pedra.

Assim correu o dia. Todos que por ali passavam reclamavam e resmungavam por causa da pedra colocada na estrada, mas ninguém a tocava.
Finalmente, ao cair da noite, a filha do moleiro por lá passou. Era muito trabalhadora, e estava cansada, pois desde cedo andava ocupada no moinho.
Mas disse a si mesma: “Já está quase escurecendo, alguém pode tropeçar nesta pedra à noite e se ferir gravemente. Vou tirá-la do caminho.”

E tentou arrastar dali a pedra. Era muito pesada, mas a moça empurrou, e empurrou, e puxou, e inclinou, até que conseguiu retirá-la do lugar. Para sua surpresa, encontrou uma caixa debaixo da pedra.

Ergueu a caixa. Era pesada, pois estava cheia de alguma coisa. Havia na tampa os seguintes dizeres: “Esta caixa pertence a quem retirar a pedra.”
Ela abriu a caixa e descobriu que estava cheia de ouro.

A filha do moleiro foi para casa com o coração feliz. Quando o fazendeiro e o soldado e todos os outros ouviram o que havia ocorrido, juntaram-se em torna do local na estrada onde a pedra estava. Revolveram o pó da estrada com os pés, na esperança de encontrar um pedaço de ouro.- Meus amigos – disse o rei –, com freqüência encontramos obstáculos e fardos no caminho. Podemos reclamar em alto e bom som enquanto nos desviamos deles se assim preferirmos, ou podemos erguê-los e descobrir o que eles significam. A decepção é normalmente o preço da preguiça.

Então o sábio rei montou em seu cavalo e com um delicado boa-noite retirou-se.

Do livro: O Livro das Virtudes II – O Compasso Moral

12 comentários:

Saber Viver!!!

14:15 Irismar Oliveira 1 Comments


Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável...
 
 

Fonte: http://www.youtube.com/user/LaizaFlorr

1 comentários: